Imobiliária no jaguaré Oliver Marques


Oliver Marques no Jaguaré Aluga e vende imoveis desde 2000 

Resultado de imagem para jaguare foto atual do bairro

Jaguaré venha conhecer este bairro


A Cidade de São Paulo tem muitos problemas, mas não deixa de ser surpreendente e reveladora a cada bairro visitado. Cada canto de nossa metrópole sempre tem algo curioso e interessante para mostrar aos cidadãos e turistas que pululam pela capital paulista diariamente. E é uma pena que a grande maioria dos turistas que visitam São Paulo raramente são levados a conhecer os bairros mais afastados da cidade, estes tão interessantes quanto o centro histórico.

O Mirante em 1943 e 2012, fotografias tiradas no mesmo ponto (clique para ampliar).

E é no bairro do Jaguaré que a cidade tem um monumento muito curioso e que é conhecido por poucos paulistanos: O Mirante do Jaguaré. Mas antes, vamos conhecer um pouco da história do bairro.

O JAGUARÉ:

Fundado oficialmente em 1935, a região já era vagamente habitada em seus arredores desde o início do século xx. No entanto, a região compreendida como Jaguaré era uma grande fazenda de 165 alqueires que pertencia à Companhia Suburbana Paulista, fundada por Ramos de Azevedo e que executava loteamento de terras pela cidade.

No ano 1935, a fazenda é adquirida pelo empresário e engenheiro Henrique Dumont Villares (sobrinho e afilhado de Santos Dumont) que vislumbrou um projeto de urbanização, que basicamente dividia a região de maneira ordenada em áreas residenciais, comerciais e industriais que eram geridas pela Sociedade Imobiliária do Jaguaré criada por Villares. O nome Jaguaré vem de um ribeirão da região, que nascia em Osasco e desembocava no rio Pinheiros e que foi canalizado quando o bairro começou a ser urbanizado.

O Jaguaré no início dos anos 1940: Organizado e pacato

Depois de loteado e ocupado o grande entrave para o desenvolvimento do bairro era o Rio Pinheiros, que era uma grande barreira natural e que limitava o tráfego de pessoas e também impedia o pleno desenvolvimento industrial da região. Para resolver este problema, em 1940 Henrique Dumont Villares faria uma doação de 700 Réis à Prefeitura de São Paulo para que pudesse então ser construída a Ponte do Jaguaré, que seria inaugurada somente em 1947 ligando o bairro com as regiões da Vila Leopoldina e Lapa. Era então o grande início do desenvolvimento do bairro não só como residencial, mas principalmente como um pólo industrial.

Curiosidade: A Ponte do Jaguaré original foi substituída em 1991 pela ponte atual, mas ela não foi completamente demolida. A parte central da ponte velha, sobre o Rio Pinheiros, está ao lado da ponte nova até hoje, bem como algumas outras pontes antigas localizadas na região do Rio Pinheiros.

O MIRANTE:

Principal símbolo do bairro, o mirante, que é  bem mais conhecido popularmente como “Farol do Jaguaré” começou a ser construído no início dos anos 40, sendo inaugurado em 1943. Henrique Dumont Villares ergueu a torre após uma viagem à Europa onde, dizem, teria tido uma inspiração. Construído no ponto mais alto de suas terras no Jaguaré, o mirante tem 28 metros de altura.

Alguns rumores não confirmados dizem que a principal razão de tê-lo erguido foi o fato de Henrique Dumont Villares pensava que o Rio Pinheiros fosse navegável, com a torre servindo então como um farol de orientação. Do alto do mirante é possível contemplar uma boa parte da Cidade de São Paulo e especialmente áreas mais próximas como a Vila Leopoldina e a Cidade Universitária.

Henrique Dumont Villares ao lado do mirante em 1943.

A demora do poder público em providenciar o tombamento do mirante e de seus arredores trouxe danos irreparáveis à memória do bairro do Jaguaré. Nos anos 1990 o edifício que foi construído em frente ao Mirante praticamente tampou a vista do mesmo para quem trafega na Marginal Pinheiros. Somente em alguns ângulos ainda é possível vê-lo. A partir do alto do Mirante, o mesmo prédio comprometeu parte da vista que o mesmo proporciona aos seus visitantes.

No bairro, a grande parte das construções residenciais erguida entre os anos 1930 e 1940 foram completamente desfiguradas. Percorrendo o bairro, só encontramos algumas poucas sem modificações e apenas uma residência absolutamente preservada (em breve aqui no São Paulo Antiga). O tombamento só viria pelo CONPRESP em 2002, quando já não havia muito mais o que ser preservado no Jaguaré. Hoje não é mais possível erguer prédios altos que impeçam a vista do mirante.

O MIRANTE HOJE:

Em 2012, é quase impossível ver o mirante da mesma posição de 1943.

Repetir a foto de Henrique Dumont Villares quase 70 anos depois da imagem original, demonstra ao leitor como a poluição visual macula nosso patrimônio histórico. Em nossa visita na área do Mirante, encontramos muito lixo pelas calçadas e ruas adjacentes. O jardim interno, entretanto, estava muito bem cuidado.

Mas o mirante embora tombado apresenta sinais de abandono. Há alguns pontos de infiltração em sua construção, todas as faces do relógio estão quebradas e, obviamente, não funcionam. É possível notar através da foto atual que a árvore cresceu e tampa a vista próxima do mirante. Mas a árvore não é problema. O grande problema é a enorme quantidade de fios que passam diante do mirante que dá uma visão muito feia da obra. Fruto de uma cidade cujas administrações municipais há décadas vão adiando o aterramento de nossa fiação.

No geral o mirante/farol está bem preservado, mas é preciso mais atenção e uma manutenção constante. À noite ele fica aceso e pode ser observado de alguns pontos da Lapa e da própria marginal do Rio Pinheiros. Mas é inaceitável que um monumento importante como este, marco da fundação de um bairro paulistano tenha tão pouca atenção da SP Turis. Estivemos por dois domingos seguidos no local e o mesmo encontrava-se sempre fechado. Justo em um dia em que é possível fomentar mais o turismo na região, não só por paulistanos conhecendo melhor a sua cidade, como também de turistas.

Hoje Jaguaré conta com toda comodidade de Shopping Continental, Extra 24 horas entre outros  um bairro que cresce a cada dia                              

   

 imobiliária no jaguaré e Oliver Marques aqui você encontra casas, apartamentos, terrenos e salão para vender e alugar em nossa região 

desde 5/09/2000 fazendo bons negócios.


Oliver Marques | O Melhor Serviço Imobiliário

Anuncie proprietário na Oliver Marques 

Quando Você Anuncia na Oliver Marques, Você Anuncia Nos Maiores Classificados do País! O Jeito Fácil de Alugar! Alugue em Poucos Dias! 

Aluguel Sempre em Dia! Contrato Digital! Tudo Online! Sem Cartório.

Cadastre seu Imóvel Agora. Quanto Cobrar de Aluguel? Consulte nossa inteligência artificial.